Resgatando a prancha

12 de maio de 2015

Apesar de ser muito visto em vídeos antigos, o uso do leash (cordinha) é muito perigoso porque quando você é puxado pelo kite e a prancha trava na água, ele funciona como um estilingue trazendo-a em sua direção com muita força. O leash pode também enrolar no pescoço ou pernas durante uma queda. Diversos acidentes já aconteceram, resultando em pontos na cabeça, pancadas na nuca e quase estrangulamentos, podendo deixar o praticante desacordado na água, o que é extremamente perigoso.

Nessa lição, você vai aprender a resgatar a prancha sem o leash e com segurança. Um passo BÁSICO antes de tentar realmente andar com a prancha. Lembre-se: ao contrário da prancha, o leash do kite é importantíssimo, pois evita que ele se perca ou atinja outros velejadores ou banhistas caso a barra escape das suas mãos.

Você caiu, foi arrastado e a prancha ficou para trás? Não esquente. Use o body-drag para voltar orçando e pegar sua prancha:

1 Posicione o kite em um dos lados da janela e faça a posição de super homem na água, usando o corpo bem estendido como uma canoa, fazendo bastante resistência. Dica: Não perca a prancha de vista, pois em certas condições de marolas, a prancha pode ficar muito difícil de ser enxergada e consequentemente ser perdida. Pranchas com cores berrantes são mais fáceis de serem localizadas.

2 Ao ser puxado para a lateral, faça o máximo de resistência na água com o corpo, apontando o braço e a cabeça no sentido da orça. Quanto mais pressão você sentir no braço, melhor estará orçando (ganhando altura contra o vento). Enquanto você faz isto, o vento te ajuda empurrando a prancha junto com ele.

3 Dependendo da distância da prancha, você vai precisar de mais de um zigue-zague. Seja paciente, pois você sempre conseguirá orçar e voltar para pegar sua prancha, a menos que o vento esteja muito forte (overpower). Dica: Ao trocar o kite de lado para fazer o zigue-zague, faça um movimento bem vagaroso e contínuo, travando bem o corpo na água. Subir o kite rápido demais irá fazê-lo ser puxado cima e para frente, perdendo toda a orça conseguida.